Clique aqui para visitar a página inicial do EUFIC
Segurança E Qualidade Alimentar
Tecnologia Alimentar
Food Risk Communication
Nutrição
Saúde E Estilo De Vida
Doenças Relacionadas Com A Alimentação
Perspectivas dos consumidores
(Apenas em Inglês)
Estímulo à reflexão
(Apenas em Inglês)
Iniciativas da União Europeia
(Traduzido parcialmente)
Destaques
Balanço energético

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.



FOOD TODAY 03/2001

O que são Aditivos Alimentares?

Food TodayPorque será que na mente de muita gente todos os aditivos alimentares são químicos nocivos com um número “E”? E porque é que o papel dos aditivos alimentares é tão mal interpretado?

Apesar das suas associações na actualidade, os aditivos alimentares são usados à décadas. A preservação dos alimentos é uma necessidade antiga; sendo o sal e o salitre o modo mais usado para conservar a carne fresca e o vinagre para conservar os vegetais. Os cozinheiros utilizam regularmente fermento em pó para fazer crescer certos alimentos, espessantes para saladas e colorantes, como a cochonilha, para transformar as materiais crus de boa qualidade em alimentos, que são seguros, saudáveis e apetecíveis. No geral, o intuito da cozinha tradicional e dos alimentos preparados e preservados, usando métodos de fabrico alimentar, são os mesmos, a diferença é que hoje em dia o número de pessoas que prova os alimentos para uma grande população urbana é mais reduzido.

 O catalizador desta visão negativa sobre os aditivos alimentares foi a mudança dos requisitos da rotulagem, que foram introduzidos nos anos 80, em que cada aditivo deve estar incluído na lista de ingredientes na maioria dos alimentos embalados. Até esta data, os aditivos apareciam na lista geral agrupados, reflectindo apenas os efeitos que promoviam no alimento em causa, como por exemplo: conservantes, antioxidantes e colorantes. Esta nova rotulagem dá lugar a listas com muitos nomes químicos e a um novo sistema de numeração, cm números precedidos da letra E, de modo a facilitar a identificação destes pelos consumidores e a indicar que estes aditivos passaram por um controlo de segurança da comunidade europeia.

O interesse dos consumidores foi alimentado por diversos artigos sensacionalistas, dados pela imprensa, acerca dos efeitos “perigosos” de todos os aditivos “químicos”, pelo que se atribuiu um grande número de efeitos nocivos, desde a hiperactividade às doenças crónicas. Contudo, um resultado muito positivo foi retirado desta “campanha anti-aditivos”, que foi o facto de os produtores alimentares tomarem mais atenção com os aditivos utilizados, com a ideia de eliminá-los ou reduzi-los ao máximo. Um desenvolvimento paralelo foi o crescimento da oferta de alimentos congelados e a utilização generalizada de técnicas de refrigeração e congelação, como métodos alternativos à conservação dos alimentos.

 Actualmente, os aditivos alimentares são rigorosamente regulados e sujeitos a revisões periódicas para comprovar a sua segurança. Os aditivos alimentares permitidos são classificados em várias categorias segundo as suas funções. Cada um tem um nome específico e um número novo, e a maioria tem um prefixo E – de Europa. Por exemplo, a série E100 são colorantes, a série E200 são conservantes, a série E300 são antioxidantes e a série de E400 são emulsionantes, espessantes e gelificantes. Como em muitos assuntos alimentares, é importante manter uma certa objectividade e assegurar-se de que qualquer informação, que esteja relacionada com aditivos, é exacta e está actualizada.

As principais funções dos aditivos nos  alimentos são:

  • assegurar a segurança e salubridade
  • fazer uma conservação com qualidade
  • aumentar a disponibilidade dos alimentos fora da época
  • melhorar ou manter o valor nutricional
  • potenciar a aceitação do consumidor
  • facilitar a preparação dos alimentos.

 Os aditivos apresentam um papel importante e necessário na contribuição da nossa oferta alimentar, em questões de segurança, salubridade, acessibilidade e abundância, em todo o mundo. Nos próximos números da FoodToday, iremos explorar mais detalhes acerca destes e como eles são aprovados para uso alimentar.

Referências

  • Essential Guide to Food Additives (2000). Edited by Mike Saltmarsh, Leatherhead Food RA Publishing, Randalls Road, Leatherhead, Surrey KT22 7RY, England, pp. 1-322.
  • Directive 89/107/EEC on the approximation of the laws of the Member States concerning food additives authorised for use in foodstuffs intended for human consumption, as amended. The Official Journal of the European Communities (1989) 32 (L40), 27-33.
SOBRE O EUFIC
O European Food Information Council ou EUFIC (Conselho Europeu de Informação Alimentar) é uma organização sem fins lucrativos, que fornece informação científica sobre segurança e qualidade alimentar, nutrição e saúde, aos meios de comunicação, profissionais de nutrição e saúde, educadores e líderes de opinião pública, de uma forma facilmente compreensível pelos consumidores.

Ler mais
A última actualização deste site foi efectuada em 30/07/2014
Ver todos os resultados da procura