Clique aqui para visitar a página inicial do EUFIC
Segurança E Qualidade Alimentar
Tecnologia Alimentar
Food Risk Communication
Nutrição
Saúde E Estilo De Vida
Doenças Relacionadas Com A Alimentação
Perspectivas dos consumidores
(Apenas em Inglês)
Estímulo à reflexão
(Apenas em Inglês)
Iniciativas da União Europeia
(Traduzido parcialmente)
Destaques
Balanço energético

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.



FOOD TODAY 05/2000

Devemos ter medo de comer?

Food TodayHoje em dia, o acto de comer é considerado uma actividade perigosa. Cada vez mais monopolizam as manchetes noticias sobre problemas e intoxicações alimentares, dando-nos a impressão que a lista de produtos prejudiciais não pára de crescer. Estatísticas de saúde pública indicam um aumento das doenças transmitidas pela ingestão de alimentos e causadas por microrganismos de contaminação. Sabemos igualmente que estes casos são subestimados.

Será que devemos ter medo de comer? Na Europa os alimentos são abundantes e de boa qualidade, graças à ciência, tecnologia e aplicação de regulamentação rigorosa. Então porque é que nos preocupamos? Uma das razões é que, aos nossos olhos, tudo o que está relacionado com os alimentos é importante para nós e rumores de intoxicações transmitidas por via alimentar cria em nós respostas emocionais. Não é para menos: todos nós nos alimentamos. Os governos, a ciência e as indústrias são muitas vezes criticados pela sua incompetência em dissipar os receios dos consumidores de forma rápida, convincente e eficaz. Por outro lado, os meios de comunicação social distorcem os factos, por vezes exagerando de forma a dar mais entusiasmo aos seus artigos noticiosos.

Outro motivo de preocupação pública é o facto do progresso da comunicação permitir a divulgação de notícias, especialmente as más notícias, de forma rápida e expansiva. Graças à atenção prestada pelos media às doenças veiculadas pela ingestão alimentar, os consumidores estão a tornar-se cada vez mais conscientes dos riscos envolvidos na microbiologia dos alimentos. O que conduz a um aumento das queixas, multiplicando as notícias. Mesmo casos de indisposição gástrica, que eram antigamente despercebidos, são agora encarados como intoxicações alimentares.

Sem dúvida que as doenças de origem alimentar causadas por microrganismos constituem um verdadeiro desafio. Os microrganismos fazem parte do nosso ambiente natural e a única forma de os controlar é através da utilização de medidas especiais ao longo da cadeia alimentar, bem como durante o armazenamento e confecção dos alimentos em casa. Uma falha na cadeia de abastecimento pode provocar amplas repercussões e afectar muitas pessoas devido ao potencial das escalas de operações. Este tipo de incidentes é o que geralmente ocupa as manchetes. No entanto, muitas infecções ou intoxicações causada pela ingestão de alimentos pode ser atribuída à falta de higiene em casa.

Os estilos de vida têm-se alterado. Muitos consumidores estão, hoje em dia, muito ocupados para perderem tempo na cozinha. Embora pareçam ter esquecido as regras básica de higiene dos alimentos ainda assim exigem que os alimentos sejam seguros. Infelizmente a maior parte dos alimentos, contêm de uma forma natural, alguns micróbios e os alimentos crus podem apresentar agentes patogénicos. Adicionalmente, existem muitos alimentos processados de forma a satisfazer as exigências dos consumidores em termos de conveniência e frescura (como por exemplo, produtos refrigerados), os quais exigem cuidados especiais em toda a cadeia de distribuição e em casa.

Os consumidores também têm mudado. Conforme a esperança de vida aumenta, aumenta também o número de idosos e pessoas com deficiências imunitárias, mais propensas à contracção de doenças causadas pelos alimentos.

Isto não significa que a comida é menos segura hoje em dia. Ao contrário da opinião pública e do que os meios de comunicação social relata sobre a deterioração da segurança alimentar, os alimentos que compramos nunca foram tão seguros e devemos apreciá-los sem constrangimentos. No entanto, existe a tendência para subestimar a segurança dos alimentos e esquecermo-nos do nosso papel na preservação da segurança dos alimentos ao manuseá-los em casa.

A informação e educação dos consumidores relativa á importância do seu papel activo na manipulação segura dos alimentos constituem dois pontos-chave estratégicos e fundamentais para a adaptação e acompanhamento das mudanças dos nossos tempos e das novas tecnologias.

SOBRE O EUFIC
O European Food Information Council ou EUFIC (Conselho Europeu de Informação Alimentar) é uma organização sem fins lucrativos, que fornece informação científica sobre segurança e qualidade alimentar, nutrição e saúde, aos meios de comunicação, profissionais de nutrição e saúde, educadores e líderes de opinião pública, de uma forma facilmente compreensível pelos consumidores.

Ler mais
A última actualização deste site foi efectuada em 17/04/2014
Ver todos os resultados da procura