Clique aqui para visitar a página inicial do EUFIC
Segurança E Qualidade Alimentar
Tecnologia Alimentar
Food Risk Communication
Nutrição
Saúde E Estilo De Vida
Doenças Relacionadas Com A Alimentação
Perspectivas dos consumidores
(Apenas em Inglês)
Estímulo à reflexão
(Apenas em Inglês)
Iniciativas da União Europeia
(Traduzido parcialmente)
Destaques
Balanço energético

Nós aderimos aos princípios da charte HONcode da Fondation HON Nós aderimos aos princípios da carta HONcode.
Verifique aqui.



FOOD TODAY 07/2008

Quebrar as barreiras para a escolha alimentar saudável e a actividade física das crianças

Food TodayA falta de dinheiro, o tempo para cozinhar e a motivação dos pais, são alguns dos principais obstáculos para as crianças desfrutarem de uma alimentação equilibrada. De forma semelhante, a escassez de instalações desportivas, a vizinhança mais intolerante e a inexistência de jardim podem limitar a actividade física. Estes são os primeiros resultados obtidos de um estudo europeu denominado de IDEFICS (Identification and Prevention of Dietary- and Lifestyle-Induced Health Effects in Children and Infants).

 Contribuir para a prevenção da obesidade infantil na Europa

A obesidade infantil e os problemas de saúde associados, são um fenómeno cada vez mais importante na Europa. Assim, o estudo IDEFICS foi proposto para se conhecer melhor os factores relacionados com a alimentação, envolvimento social e estilo de vida, que influenciam a saúde das crianças europeias. A informação derivada deste estudo será aplicada para desenvolver, implementar, evoluir e avaliar intervenções específicas, com o objectivo de reduzir a prevalência das patologias relacionadas com a dieta e o estilo de vida.

Como parte de estudo, organizaram-se grupos de discussão com as crianças e pais, de todos os países europeus, para estes obterem informações sobre os factores que influenciam a nutrição das crianças e a sua actividade física. Os participantes destes grupos foram:

  • 155 crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 8 anos de idade (81 meninos, 74 meninas) – divididos em 20 grupos, compostos por 5-17 participantes
  • 106 pais de crianças dos 2 aos 4 anos  83 pais de crianças dos 6 aos 8 anos (28 homens, 161 mulheres) – divididos em 36 grupos, compostos por 5-12 participantes.

Barreiras para uma alimentação saudável

Entre os factores citados, que dificultam a possibilidade de oferecer uma alimentação saudável ás crianças, estão a falta de tempo para cozinhar, os recursos económicos e de motivação, o pouco tempo que se passa com os filhos (para controlar o que comem), quebra das regras alimentares pelos avós e a elevada disponibilidade de alimentos de elevada densidade energética e pouco valor nutritivo.

As famílias com rendimentos reduzidos apresentam uma maior probabilidade de ter dietas alimentares menos saudáveis, uma vez que os produtos que compram são determinados pelo preço e pelas preferências das crianças, e estas  são menos restritivas na selecção dos alimentos.

Existem grandes diferenças entre os vários países quanto ao consumo de alimentos nos colégios. A Suécia dispõe de regras claras e estritas. As crianças recebem alimentos nutritivos e as máquinas de venda estão reguladas. Contudo, a ausência de regras claras é comum em outros países. Em geral, existe uma falta de formação sobre nutrição (excepto na Bélgica e Espanha) e não se promove o consumo de fruta nas escolas.

Obstáculos para a actividade física

Os factores ambientais mais comuns são a falta de instalações (parques, ginásios, pavilhões desportivos, piscinas, espaços verdes ou pista de bicicletas) e a segurança (presença de demasiado trânsito e de gangs adolescentes, falta de sinalização de trânsito e mau estado das pistas para bicicletas e de outros caminhos). As condições dos colégios variam no entanto de país para país, não sendo óptimas, devido à curta duração dos recreios e à falta de espaço para as crianças jogarem.

A falta de actividades organizadas para crianças e a reduzida quantidade de organizações desportivas contribuem para a pouca actividade física das crianças. As famílias com rendimento baixo consideram o elevado preço das actividades desportivas, mesmo num grupo desportivo local organizado, um obstáculo; contudo, julgam que seria uma maneira de manter as suas crianças num ambiente seguro. Em geral, as crianças apresentam um maior nível de actividade física na primavera e verão.

Eliminar os obstáculos

Na maioria dos casos, os pais consideram que o colégio é um importante instrumento para habituar os seus filhos a ter uma dieta e um estilo de vida saudáveis. Esta situação deve-se ao facto de as crianças passarem grande parte do seu tempo no colégio; assim, deveria incluir o ensino de nutrição, de modo a que esta formação abrangesse as crianças de todos os níveis sócio-económicos. Também é necessário ter uma política escolar consistente e bem elaborada na área alimentar, que seja aprovada pelos pais. Este ponto é muito importante, uma vez que os pais devem ser mais conscientes da sua responsabilidade, na melhoria da alimentação e do estilo de vida das suas crianças.

Algumas mudanças ambientais, que podem promover a actividade física das crianças, inclui a criação de zonas sem trânsito, ciclovias para bicicletas e caminhos pedonais. A organização de actividades acessíveis para estas idades serve não só para evitar que estas tenham um estilo de vida sedentário, mas também para evitar que estas se envolvam em problemas, especialmente no caso das famílias com baixo nível sócio-económico.

As escolas deveriam dispôr de instalações desportivas adequadas, propôr actividades desportivas durante os recreios, organizar actividades extracurriculares e convencer os professores a serem um exemplo para os alunos. Na Suiça, as escolas oferecem actividades para os seus alunos durante e depois do horário escolar; na Hungria, as famílias podem praticar exercício físico nos espaços exteriores dos colégios. Praticar exercício juntos, famílias com as suas crianças, ajuda a motivar e incentivar as crianças a usufruir da vida  ao ar livre e a manterem-se activas.

O estudo IDEFICS continua

Os resultados dos grupos de discussão foram utilizados para desenvolver uma estratégia comunitária de estilo de vida saudável, que inclua intervenções sobre nutrição e actividade física, que seja centrada nas creches e escolas primárias. A intervenção nutricional deve incluir a vertente de educação alimentar, mas também ensinar a comprar e cozinhar os alimentos de forma mais equilibrada. Na actividade física, é necessário realizar actividades estruturadas e em lugar apropriado para estas, tanto na escola como na comunidade no geral. O aumento da segurança nos bairros e a realização de acções de grande escala, como a construção de mais zonas e parques de recreio ou a organização de jornadas familiares, deveriam fazer parte dos programas comunitários, e ser um ponto central nas negociações dos líderes das comunidades. Finalmente, se os pais tiverem um estilo de vida saudável, que promova a actividade física, e colocarem à disposição dos seus filhos alimentos saudáveis, estes estão a contribuir para uma dieta mais saudável e um maior nível de actividade física das suas crianças.

Para mais informações: www.ideficsstudy.eu

References

  1. Ahrens W, Bammann K, de Henauw S, Halford J, Palou A, Pigeot I, Siani A, Sjostrom M. (2006) Understanding and preventing childhood obesity and related disorders—IDEFICS: A European multilevel epidemiological approach. Nutrition, Metabolism and Cardiovascular Diseases 16(4):302-308.
  2. Identification and prevention of Dietary- and lifestyle-induced health EFfects In Children and infantS (IDEFICS). European Commission Sixth Framework Programme. Contract n° 016181 (FOOD) http://www.ideficsstudy.eu/.
  3. Haerens L, De Bourdeaudhuij I, Barba G, Eiben G, Fernandez J, Hebestreit A, Konstabel K, Kovács É, Lasn H, Regber S, Shiakou M, De Henauw S, on behalf of the IDEFICS consortium (in press). Developing the IDEFICS community based intervention program to enhance eating behaviors in 2-8 year old children: findings from focus groups with children and parents. Health Education Research.
  4. Haerens L, De Bourdeaudhuij I, Eiben G, Barba G, Bel S, Keimer K, Kovács E, Lasn H, Regber S, Shiakou M, Maes L on behalf of the IDEFICS consortium (submitted). Formative research to develop the IDEFICS physical activity intervention component: findings from focus groups with children and parents. IJBNPA.
  5. EUFIC Food Today n°58 (May 2007) Learning Healthy Living – Development of a European Prevention Strategy. Available at: www.eufic.org/article/en/artid/Learn-healthy-living-european-intervention-strategy/
SOBRE O EUFIC
O European Food Information Council ou EUFIC (Conselho Europeu de Informação Alimentar) é uma organização sem fins lucrativos, que fornece informação científica sobre segurança e qualidade alimentar, nutrição e saúde, aos meios de comunicação, profissionais de nutrição e saúde, educadores e líderes de opinião pública, de uma forma facilmente compreensível pelos consumidores.

Ler mais
A última actualização deste site foi efectuada em 30/07/2014
Ver todos os resultados da procura